Um tempo atrás um rapaz que se identificou como "afsmir" entrou no blog e me deixou uma mensagem, na época achei estranho um pedido assim do nada, mas agora tempos depois resolvi atender por qualquer motivo tão aleatório quanto o pedido em si.


Disse ele na mensagem:

 Ola, Osvaldo. Encontrei seu Blog por acaso, e por causa do tal Mantra, resolvi entrar. Entrei, passeei, vou sair.
Antes, gostaria de deixar uma palavra para você formar uma frase, usando apenas ela. A palavra é: ETERNAMENTE Boa sorte."


Fiz uma espécie de "poema-frase" em resposta, que ficou basicamente assim. 



"É ter na mente
eternamente 
e ter na mente 
é ternamente."


Espero que quem fez o pedido ainda esteja por aí pra ler, mas se não, fica a resposta por aqui, talvez num vácuo duradouro, buscando alguém que encontre um sentido nas palavras.


Resultado de imagem para infinito 

Olá relativistas!



A paralisia do sono

Este é um tema que acho muito interessante, pois já aconteceu comigo e creio que deve acontecer com muitas pessoas (que inclusive não sabem pelo que acabaram de passar.)

Bom, vou começar pelos sintomas e depois vou para as explicações desse fato assustador.

O que é? 

Você chega em sua casa cansado, vai deitar pra dormir e tirar aquela boa soneca e então pega no sono. Algumas horas, ou minutos depois, você tem a sensação de ter acabado de acordar (ou de não ter dormido) e consegue abrir os olhos (ou não) mas o importante é que você tem a plena certeza de estar acordado.

E aí que vem o problema, na verdade você está nesse momento em uma paralisia do sono, você crê estar acordado mas o seu cérebro ainda está em um "estado de dormência", e apesar de estar consciente da realidade você está mais ou menos como um gato de schrodinger, mas nesse caso você não está nem acordado nem dormindo, está em um estado "fluido" entre os dois, está imerso na paralisia do sono.

O que acontece? Bom, você simplesmente nota que não consegue mover o seu corpo, seus braços não obedecem os comandos e nem ao menos sua voz e na primeira vez que isso acontece é TOTALMENTE ASSUSTADOR. O susto é tão grande que a sua primeira reação será a de gritar, mas sua voz também não funciona! Basicamente o seu corpo está dormindo enquanto você tem a plena consciência de estar acordado.

Como se não bastasse e pra piorar um pouco mais a situação, por estar nesse "estado de dormência", os seus sonhos se misturam com a realidade, e aí que vem uma das piores sensações que qualquer pessoa que já teve paralisia do sono já passou na vida, alucinações.

Infelizmente não são alucinações boas ou leves, são as alucinações mais pesadas e assustadoras possíveis (e até mesmo eu gostaria de entender porque não podemos ter simplesmente alucinações com algo bonito e carinhoso).


Pra deixar bem claro, vou contar sobre as duas paralisias do sono que tive este ano (e espero não ter nunca mais).

Lista de livros clássicos de P a Z
  1. Poemas — Safo
  2. Poemas de Álvaro de Campos — Fernando Pessoa
  3. Poemas de Fernando Pessoa — Fernando Pessoa
  4. Poemas de Ricardo Reis — Fernando Pessoa
  5. Poemas Irônicos, Venenosos e Sarcásticos — Álvares de Azevedo
  6. Poemas Selecionados — Florbela Espanca
  7. Primeiro Fausto — Fernando Pessoa
  8. Quincas Borba — Machado de Assis
  9. Redondilhas — Luís Vaz de Camões
  10. Schopenhauer — Thomas Mann
  11. Seleção de Obras Poéticas — Gregório de Matos
  12. Sonetos e Outros Poemas — Bocage
  13. Triste Fim de Policarpo Quaresma — Lima Barreto
  14. Uma Estação no Inferno — Arthur Rimbaud
  15. Utopia — Thomas Morus
  16. Via-Láctea — Olavo Bilac
  17. Viagens de Gulliver — Jonathan Swift
  18. Vozes d’África — Castro Alves

Lista de livros clássicos de E a O
  1. Édipo-Rei — Sófocles
  2. Esaú e Jacó — Machado de Assis
  3. Espumas Flutuantes — Castro Alves
  4. Eterna Mágoa — Augusto dos Anjos
  5. Eu e Outras Poesias — Augusto dos Anjos
  6. Fausto — Johann Wolfgang von Goethe
  7. Hamlet — William Shakespeare
  8. História da Literatura Brasileira — José Veríssimo Dias de Matos
  9. Iliada — Homero
  10. Iluminuras —Arthur Rimbaud
  11. Lira dos Vinte Anos — Álvares de Azevedo
  12. Livro de Mágoas — Florbela Espanca
  13. Livro de Sóror Saudade — Florbela Espanca
  14. Memorial de Aires — Machado de Assis
  15. Memórias de um Sargento de Milícias — Manuel Antônio de Almeida
  16. Memórias Póstumas de Brás Cubas — Machado de Assis
  17. Noite na Taverna — Álvares de Azevedo
  18. O Alienista — Machado de Assis
  19. O Crime do Padre Amaro — Eça de Queirós
  20. O Elixir da Longa Vida — Honoré de Balzac
  21. O Eu Profundo e os Outros Eus — Fernando Pessoa
  22. O Guardador de Rebanhos — Fernando Pessoa
  23. O Homem que Sabia Javanês e Outros Contos — Lima Barreto
  24. O Livro D’ele — Florbela Espanca
  25. O Mercador de Veneza — William Shakespeare
  26. O Navio Negreiro — Castro Alves
  27. O Pastor Amoroso — Fernando Pessoa
  28. Obras Seletas — Rui Barbosa
  29. Odisseia — Homero
  30. Os Escravos —  Castro Alves
  31. Os Lusíadas — Luís Vaz de Camões
  32. Os Maias — Eça de Queirós
  33. Os Sertões — Euclides da Cunha

Encontrei estes livros no site da Revista Bula e pensei em disponibilizar aqui pra vocês que gostam da leitura clássica.
A lista tende a aumentar então dê sempre uma olhadinha.
  1. A Alma Encantadora das Ruas — João do Rio
  2. A Capital Federal — Artur Azevedo
  3. A Carne — Júlio Ribeiro
  4. A Cidade e as Serras — Eça de Queirós
  5. A Conquista — Coelho Neto
  6. A Dama das Camélias — Alexandre Dumas Filho
  7. A Dança dos Ossos — Bernardo Guimarães
  8. A Desobediência Civil — Henry David Thoreau
  9. A Divina Comédia — Dante Alighieri
  10. A Escrava Isaura — Bernardo Guimarães
  11. A Esfinge sem Segredo — Oscar Wilde
  12. A Ilustre Casa de Ramires — Eça de Queirós
  13. A Mensageira das Violetas — Florbela Espanca
  14. A Metamorfose — Franz Kafka
  15. A Orgia dos Duendes — Bernardo Guimarães
  16. A Poesia Interminável —  Cruz e Sousa
  17. A Princesa de Babilônia — Voltaire
  18. A Relíquia — Eça de Queirós
  19. A Volta ao Mundo em Oitenta Dias — Júlio Verne
  20. Antigonas — Sofócles
  21. Antologia — Antero de Quental
  22. Arte Poética — Aristóteles
  23. As Academias de Sião — Machado de Assis
  24. As Primaveras — Casimiro de Abreu
  25. As Viagens — Olavo Bilac
  26. Brás, Bexiga e Barra Funda — Alcântara Machado
  27. Canção do Exílio — Antônio Gonçalves Dias
  28. Canções e Elegias — Luís Vaz de Camões
  29. Cândido — Voltaire
  30. Carolina — Casimiro de Abreu
  31. Cartas D’Amor — O Efêmero Feminino — Eça de Queirós
  32. Charneca em Flor — Florbela Espanca
  33. Contos —Eça de Queirós
  34. Contos de Lima Barreto — Lima Barreto
  35. Contos Fluminenses — Machado de Assis
  36. Contos para Velhos — Olavo Bilac
  37. Diário Íntimo — Lima Barreto
  38. Dom Casmurro — Machado de Assis
  39. Don Quixote. Vol. 1 — Miguel de Cervantes Saavedra
  40. Don Quixote. Vol. 2 — Miguel de Cervantes Saavedra